Sobre os noivos

Criação x Atendimento

Pra quem não é do ramo de publicidade, especificamente de agência, é complicado entender isso de Criação x Atendimento. Eu explico.

Numa agência, o atendimento é o ponto de contato entre o cliente e todas as áreas da agência. É como se ele fosse o representante do cliente para a agência e o representante da agência para o cliente. Em outras palavras, a Criação diria que o atendimento é ninguém menos que O Mensageiro do Mal. O Atendimento é aquela pessoa que estabelece uma infinidade de parâmetros "absurdos" para podar propositalmente as propostas da Criação. É o Atendimento quem inventa de aumentar a marca e usar fontes estrambólicas no layout. É o Atendimento quem reclama que o texto não tá explicando direito e que o layout não tem aderência ao público do cliente. 

Por outro lado, a Criação é o setor responsável por entender as necessidades do cliente e buscar soluções criativas para atender essas necessidades, desenvolvendo peças incríveis que despertem o interesse do público alvo. Do cliente. Muitas vezes as pessaos desse setor precisam ser constantemente lembradas de quem compõe esse público alvo. É difícil. Afinal de contas, quem tem tempo para ler o briefing que o Atendimento fez com tantos detalhes? Importante mesmo é grifar as sugestões que o atendimento fez e pensar em coisas que tenham absolutamente nada a ver como o que foi proposto.

Em resumo, Atendimento e Criação não se beijam. Eu mesma sempre achei que a qualquer momento Henrique poderia estourar um teclado na minha cara. Ele criação, eu atendimento. Não entendo porque ele fazia cara feia. Só porque eu pedi para ele refazer toda uma campanha em uma noite de sexta-feira e ele acabou largando às 23h na primeira semana de trabalho? Ah, vá.

 

O COMEÇO

Muito tempo depois de a gente se conhecer, Henrique foi despertando minha curiosidade. Sempre com livros interessantes na mesa de trabalho, sempre calado e fazendo cara feia pra mim, sempre negando minhas caronas - apesar de morar a 2 quarteirões da minha casa. Nunca entendi de onde vinha tanto ódio e nunca me conformei.

Um belo dia, vi esse sujeito com a tão famosa barba de mendigo esperando seu ônibus na parada para ir para o trabalho. Ora, eu que andei de ônibus e conheço bem a alegria de uma carona esperta, parei o carro imediatamente e mandei ele entrar. Para a minha surpresa, ele entrou e fomos conversando quase 1h direto até o trabalho. Para a minha sorte, nessa época a Via Mangue ainda não estava pronta e o trânsito até a Ilha do Leite era um verdadeiro inferno. Nesse dia a barreira entre Criação e Atendimento começou a ruir.

 

SUJEITINHO DIFICIL

Henrique foi de longe uma das pessoas mais interessantes que eu já tinha conhecido e eu precisava saber mais sobre ele. Sim, esse boy quem pescou fui eu. Fiquei ligada nele, tentando saber mais sobre essa pessoa que não tinha absolutamente nada a ver comigo. Percebi que estava dando mole para ele, ele que não era nem meu tipo. Sério. E essa barba hein??? Nojo definia. 

Pra fechar, teve uma greve de ônibus e eu tinha vários jobs com prazo estourado para entregar no dia seguinte. Esse sujeito fez logo terror que não ia conseguir chegar no trabalho. Ofereci carona prontamente. Ele negou categoricamente. Mas como assim??? Eu nem dirijo assim tão mal! Eu insisti. Ele negou de novo. Fiquei indócil. Insisti mais uma vez e ele aceitou. 

Mais uma carona de conversa infinita. Trocamos whatsapp e os dias que seguiram não tinham fim. Era uma conversa que puxava outra e em duas semanas a gente já sabia que tinha coisa rolando.

 

NAO LARGO MAIS

Tirei férias e viajei. Passamos um mês só de conversa no whatsapp e eu disse logo pra minha mãe: "acho que quando voltar para o Brasil, vou namorar com esse menino". Dito e feito, foi chegar de férias e com uma semana eu avisei logo a ele que a gente tava namorando. Não tinha para onde fugir, até a barba já tinha ganhado meu coração. De lá pra cá, a cada dia que passa encontramos muito mais coisas diferentes entre nós, mas encontramos também uma quantidade incrível de semelhanças no que mais importa, nossa essência. Henrique me faz ver o mundo de outro jeito e me inspira a querer ser sempre uma pessoa melhor. Nossas diferenças nos fazem crescer e aprender, enquanto nossas semelhanças nos aproximam sempre mais. Eu não conseguiria imaginar alguém tão perfeito para estar ao meu lado para o resto da minha vida. Sério, nunca achei que existisse alguém assim. Henrique me faz transbordar em alegria.

 

Mari

Imagem Sobre